Passear com Gato – sim ou não?

03.05.2017

Muitas vezes, tratamos os gatos como se fossem cães, mas os bichanos são felinos e as suas necessidades NÃO coincidem com as caninas.

 

Para muitos cães, passear é um momento fundamental do dia: alguns só podem fazer as necessidades durante o passeio, que é também uma oportunidade para interagir com outros cães. Os gatos aceitam facilmente a caixa de areia como o único local para fazer necessidades e as suas tendências sociais variam muito, dependendo do animal: encontrar gatos desconhecidos pode ser um momento de tensão em vez de ser uma oportunidade de brincar e interagir com outros. Alem disso normalmente, o gato marca o seu território com odores que exercem em si próprio um efeito calmante. Ir passear implica estar num ambiente desconhecido sem as marcações que lhe dão segurança. Há também o risco de poder aleijar-se ou até de se assustar ao encontrar cães desconhecidos.

 

Então sabendo disso, a primeira coisa que você deve fazer é colocar na balança os prós e os contras de levar um bichano para passear, e só concretizar a saída se o animal se sentir bem com essa atividade. Esse é um tema que até hoje gera bastante controvérsia entre os especialistas.

 

Segundo a Dra. Liliana Camargo, veterinária especializada em medicina felina, “gato é explorador por natureza, gosta de se aventurar e conhecer o ambiente ao seu redor. Se adaptados desde filhotes, aprendem a passear na coleira e adoram!”. No entanto, a médica alerta para respeitar o ritmo do animal: “Nem todos os animais são iguais, e cada um reage a estímulos de formas diferentes; pode ser que alguns não queiram explorar nada além das quatro paredes do seu lar”. Já a Dra. Vanessa Zimbres, da Clínica Gato é Gente Boa, também especializada em medicina felina, afirma que gatos não devem sair de casa. “Uma vez que não temos controle sobre esses passeios (e sobre o animal) e os riscos são grandes, gatos devem ser criados indoor”. Ainda segundo a médica, “gatos, em geral, não aceitam coleiras, são animais tímidos, se assustam e se estressam facilmente”.

 

Como proceder antes de levar um gato para passear;

 

Mesmo assim, se você quiser tentar, dê tempo ao seu gato. Ele precisa, antes de tudo, acostumar-se com a coleira que PRECISA ser do estilo PEITORAL. Não só porque seu gato pode se desesperar e se enforcar, mas porque uma coleira de pescoço passa super fácil pela cabeça e ele pode fugir. A guia mais segura é a comum, já que a retrátil pode causar acidentes (imagina se ele se assusta e corre para a rua ou pula um muro e fica pendurado). 

 

Agora, para começar os passeios, coloque a peitoral e a guia e só abra a porta de casa, sem puxar o gato. Você pode dar petiscos para ele se sentir mais motivado, mas deixe ele sair no ritmo dele. Alguns gatos já saem andando pela calçada, outros demoram um bom tempo para passar da entrada da casa ou do hall do prédio. Seu gato mesmo vai estipular até onde ele quer ir, pode ser que ele só queira se sentar na frente da casa e olhar o movimento, deixe e tenha paciência, afinal o passeio É PARA ELE. 

 

Lembre-se de que as vacinas devem estar em dia e o animal deve sempre estar sob supervisão do tutor. Prefira ruas e locais com pouco ou nenhum movimento, de preferência ao jardim da casa ou do seu edifício. Tenha cautela e seja prudente. Nunca ande por locais muito barulhento. Nem lugares que têm cachorros soltos, um gato desesperado é difícil de controlar e um cachorro agressivo também.

 

IMPORTANTE!!! Não use a coleira de passeio para levar o gato ao veterinário, nem para deixá-lo preso (credo!), muito menos para ajudar a dar remédio ou banho – o gato pode associá-la com uma coisa ruim e passar a ter pânico de chegar perto e usá-la.

 

Agora que tal ver um vídeo para se inspirar? Essa é a Savannah. Tem apenas seis meses e já acompanha a família em trilhas na natureza! E aiiiii, será que seu gato ia curtir uma caminhada dessa?

Euuuu, nem me atrevo. Tenho CERTEZAAAAA que meu Ravioli ia se tremer de medoooo. =S  

 

Cuidados especiais: 

* Gatos brancos precisam passar protetor solar no nariz e na ponta das orelhas caso forem tomar sol.

 

* Algumas raças, como o Persa, são mais sedentários do que outras, como o Bengal; e gatos sem raça definida também têm suas preferências, respeite-as.

 

* Não saia na rua com gatos não vacinados nem gatos portadores de FIV/FELV, já que podem pegar doenças graves.

 

* Caso tenha mais de um gato, ande com um de cada vez ou peça ajuda a alguém, pelo menos nas primeiras semanas.  

 

Ahhhhh!!! Lembrando que será um passeio bemmmmm diferente do que é com um cão okay?!

Diferentemente do cachorro, o gato vai preferir cheirar cada cantinho, subir em tronco de árvore, procurar bichinhos para caçar e etc. E no nosso caso, quem PRECISA comandar a coleira e o passeio é nosso peludinho. ;)

 

Segue algumas fotos dos passeios que fiz com um clientinho do CATSITTER que adoraaaaa tomar um solzinho nos bigodes. rsrs >'.'<

 

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Curta esse post
Please reload

Posts Em Destaque

Vou viajar, e agora?

25.08.2017

1/2
Please reload

Arquivo
Please reload

Compartilhe este post
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

T-SHIRT BEST CAT MOM

R$49.99Preço

T-SHIRT QUEEN OF CATS

R$49.99Preço

T-SHIRT GATEIRA ASSUMIDA

R$49.99Preço
  • w-facebook
  • Twitter - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram Clean

Copyright © 2018 Menina dos Gatos - Todos os direitos reservados

@meninadosgatosstore

@meninadosgatos